top of page

Felipe Nájera, ator de Rebelde, é casado, pai e ativista LGBT


O ator Felipe Nájera, popularmente conhecido no Brasil como o intérprete do diretor Pascual Gandía da Elite Way School, o colégio da novela Rebelde (Televisa/2004-2006), se tornou um dos mais influentes ativistas LGBT do México após se assumir gay, em 2010.

Casado com o produtor de teatro Jaime Morales, juntos eles se tornaram o primeiro casal homossexual a exercer o direito de adoção no país, ocorrido há oito anos.

Embora no papel a lei estivesse do lado deles, eles tiveram que enfrentar uma dura batalha para que sua filha Alejandra fosse de fato integrada como membro da família. Em entrevista à agência AFP, à época, Morales lembrou que em 2009, quando a Cidade do México se tornou a primeira capital latino-americana a aprovar o casamento homoparental, ele e Felipe Nájera já eram um casal há vários anos. Mas decidiram se casar em homenagem às lutas que enfrentavam e assim conseguir o reconhecimento da lei.

“Quando vimos todo o esforço para reformar a lei, decidimos nos casar (em 2010). Era algo que não precisávamos, éramos um casal consolidado, mas acreditamos que essa luta tinha que se materializar com um evento.”

O casal sentiu que sua família estava incompleta e por isso decidiu iniciar o processo de adoção em 2012, o que eles lembram como um processo tortuoso.

“Experimentamos no DIF (Sistema Nacional de Desenvolvimento Integral da Família). Vamos lá, a gente faz a papelada, é uma instituição com mais burocracia, fomos o casal 220 e o primeiro casal homossexual.

Dada a burocracia que existia, temos a oportunidade de entrar em um programa da Procuradoria Geral da República“, explicou Nájera, que por aqui também foi visto em novelas como Primeiro Amor – a mil por hora, A Feia mais Bela, Destilando Amor, Teresa e Lágrimas de Amor.Na Procuradoria-Geral da República, estavam o requerimento número 22 e após preencher os requisitos, Alejandra passou a viver na casa com 4 meses de idade.“Achamos que uma menina teria mais facilidades do que um menino adotado por dois homens. Se o menino se revelar gay, (vão dizer) que batemos nele, ou as mentes mais terríveis podem pensar que poderíamos estuprá-lo“, continuou.

Hoje, Alejandra tem 8 anos e, segundo o ator, a sua idade permite “compreender a natureza da sua família”.

“Está perfeitamente claro para ela quem são seus pais. Ele sabe que teve uma mãe. Os pais não são bons nem maus por causa de sua orientação sexual. Nem os homossexuais serão os melhores pais, nem os heterossexuais apenas porque o são. Isso é determinado por nossa educação, nossa ética, nosso ambiente e não nossa preferência sexual.”

Embora a chegada de Alejandra em suas vidas represente uma conquista importante, Nájera e Morales têm certeza de que sua luta para ter acesso aos mesmos direitos dos casamentos heterossexuais envolverá mais batalhas.

“Temos a lei, mas apenas a metade. Sabemos que você tem direito em alguma parte do Código Civil [da Cidade do México], mas todas as instâncias que circundam a cidade nada fizeram para modificar seus regulamentos e estatutos.“


Fonte: Cadu Safner (ESTRELA LATINA)

41 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page