top of page

Músico é espancado por 7 homens e denuncia homofobia: "Faço questão de exibir o estado que eu estou"


O músico Guilherme Azevedo, de 31 anos, foi espancado por sete homens, tendo o dedo e ombro quebrados, além de um corte na cabeça. O músico disse que a violência foi motivada por homofobia. 


“Desde que me mudei pra cá (São Fidélis/RJ), há um mês, vou a um rio que tem aqui perto de casa, para fazer yoga, fumar um cigarro, e todo dia encontro com eles, que sempre ficam fazendo piadinhas, debochando.


Eu sempre ignoro, mas ontem eu questionei, perguntei porque não me deixam quieto. Não aguentava mais aquilo. E aí eles me cercaram, tentaram me jogar no rio, eu esquivei, mas eles começaram a me bater", contou Guilherme.


Segundo o músico, as agressões só pararam quando uma amiga chegou para socorrê-lo. “Acho que se ela não tivesse aparecido, eu estaria bem pior", disse o músico. 


O irmão da vítima, o jornalista André Azevedo, se manifestou sobre o caso: "Eu tenho orgulho do meu irmão ser quem ele é e pela coragem que tem. E não vamos parar até que esses vermes sejam punidos [...] Por todos os Guilhermes que sofrem diariamente no nosso país, não vamos nos calar. Homofobia é crime e os homofóbicos não passarão impunes", desabafou André.

1 visualização0 comentário

Comments


bottom of page